Transparência e Boas Práticas em Publicações Académicas

Versão em Português publicada no DOAJ: 24 de Agosto de 2018

Esta é a terceira versão de um trabalho em andamento (publicado em Janeiro de 2018); a primeira versão foi disponibilizada pela OASPA em Dezembro de 2013 e uma segunda versão em Junho de 2015.

Nota: O Committee on Publication Ethics (Comité de Ética em Publicações-COPE), o Directory of Open Access Journals (Diretório de Revistas de Acesso Aberto-DOAJ), a Open Access Scholarly Publishers Association (Associação de Editores Académicos de Acesso Aberto-OASPA) e a World Association of Medical Editors (Associação Mundial de Editores Médicos-WAME) são organizações académicas que têm observado um aumento significativo no número e na qualidade das solicitações de adesão. Estas organizações, juntas, colaboraram para criar princípios de transparência e boas práticas para publicações académicas e para tornar claro que esses princípios constituem a base dos critérios pelos quais o COPE, DOAJ e OASPA avaliam a adequação para adesão, e como parte dos critérios avaliados pela WAME. Cada organização também tem seus próprios critérios adicionais que são utilizados na avaliação das solicitações.

Fonte do Artigo: https://doaj.org/pt/boaspraticas

Regulamento Geral sobre Proteção de Dados (RGPD)

No sentido de facilitar o acesso a informação relativa ao Regulamento Geral sobre Proteção de Dados (RGPD) que entra em vigor em Maio de 2018*, deixamos algumas indicações que podem ser úteis.

Fontes institucionais:

A CNPD criou aqui um espaço dedicado – Espaço RGPD – ao novo Regulamento Geral sobre Proteção de Dados para que as entidades públicas e privadas possam ir acompanhando o trabalho que está a ser desenvolvido.

Orientações já emitidas sobre:

Reforma de 2018 das regras de proteção de dados da UE

As regras de proteção de dados mais rigorosas conferem aos cidadãos um maior controlo sobre os seus dados pessoais e condições mais equitativas às empresas.

Regras para as empresas e as organizações (Aplicação do RGPD, obrigações, pedidos de indivíduos, execução)

Direitos para os cidadãos (Proteção dos seus dados pessoais e dos seus direitos e vias de recurso)

Infografia: O que tem de fazer a sua empresa

Outras fontes:

1. Informação de qualidade e com pertinência, encriptação de dados, elaborada também na forma de um whitepaper, pela ESET Portugal. Em conformidade com o RGPD: o papel da encriptação (guia grátis)

2. Microsite dedicado ao RGPD pela SAGE Portugal.

 *O RGPD será diretamente aplicável em todos os países da União Europeia e também no Espaço Económico Europeu (Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça), a partir de 25 de maio de 2018.

Academia.edu, plataforma de partilha de trabalhos

Academia.edu é uma plataforma dedicada a professores e investigadores focada na partilha de publicações. A missão da Academia, segundo os seus autores, é acelerarem a investigação no mundo.

Para os Académicos usar a Academia.edu significa dar um maior alcance às suas pesquisas, monitorar e obter dados estatísticos (obtidos em torno do impacto da sua investigação), e poder acompanhar resultados das pesquisas de académicos que seguem.

Secções do portal para pesquisa de trabalhos: Physics; Chemistry; Biology; Health Sciences; Ecology; Earth Sciences; Cognitive Science; Mathematics; Computer Science.

Facto: A study recently published in PLOS ONE found that papers uploaded to Academia receive a 69% boost in citations over 5 years

Normas WCAG 1 e WCAG 2

Aquando o desenvolvimento de sites que exigem determinados requisitos (para pessoas com deficiência), a par da validação do XHTML e CSS, existem normas adicionais que podem ter que ser cumpridas tal como o caso da WCAG 1 e WCAG 2.

Um dos pontos a ter em consideração no desenvolvimento, no que respeita à combinação de cores utilizadas, é saber se estas estão adequadas, cumprindo os requisitos estipulados na WCAG 1 e WCAG 2 para a percepção visual.
Read More

URLs amigáveis (Mod_Rewrite)

O mod_rewrite e o .htaccess são usados em conjunto para que os sites dinámicos possam apresentar URLs (endereços das páginas) mais amigáveis a quem visualiza o site e permitir a optimização para a procura pelos motores de busca (SEO). Read More

Desactivar o IPv6 no Linux

O protocolo IPv6 e o Zeroconf, vem nativos nas distribuições de Linux.

O IPv6 é um upgrade ao “velhinho” IPv4 e o zeroconf é um protocolo que serve para ligarmos duas máquinas através de um crossover sem configurar nada. Read More