PKP e SciELO vão desenvolver sistema de Servidor de Preprints

Uma excelente notícia, PKP e SciELO anunciam desenvolvimento de um sistema de código aberto de Servidor de Preprints.

O Public Knowledge Project (PKP) e o Programa SciELO estabelecem um acordo para desenvolver um sistema de Servidor de Preprints com base nos princípios que regem estas duas organizações nas duas últimas décadas.

PKP e SciELO planeiam colaborar na construção de um sistema de Servidor de Preprints totalmente interoperável com o Open Journal System (OJS) e outros sistemas de publicação que servirão aos periódicos da Rede SciELO e serão disponibilizados publicamente para operar com outras organizações.

Leia a notícia completa em:

OJS e OMP com novos updates

Ainda com as últimas alterações “frescas” o OJS e OMP ganharam novos updates. Agora a versão em curso é OJS 3.1.1-2 (.tar.gz) e OMP 3.1.1-2 (.tar.gz).

De referir ainda, que o tema Health Sciences garante compatibilidade com a última versão do Open Journal e não menos importante, o facto que, com o apoio da Equipa editorial do Instituto de Geografía, UNAM foi lançado o primeiro curso online em Espanhol do OJS – primer curso de PKP School en español — Configuración de una revista en OJS 3.

RGPD e Revistas Científicas (configuração RGPD para OJS)

Como é do conhecimento geral a partir de Maio de 2018 a actual directiva e lei de protecção de dados pessoais é substituída pelo Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD).

O novo quadro legal traz mudanças significativas que terão impacto na vida das organizações. Assim, empresas e entidades públicas devem começar, desde já, a preparar a sua organização para a aplicação do RGPD.

É essencial conhecer as novas regras, analisar as novas obrigações, verificar o nível actual de cumprimento e adoptar as medidas necessárias durante este período de transição para assegurar que tudo está conforme atempadamente.

Neste sentido, e no âmbito da publicação académica de revistas, a PKP – Public Knowledge Project , responsável pelo desenvolvimento do Open Journal Systems lançou o GDPR Guidebook for PKP Users. O guia pretende ser um auxiliar na configuração do OJS para assim estar em conformidade com o RGPD. Lembra-se, que esta necessidade aplica-se a todas as revistas científicas e académicas online que tenham interacção com cidadãos da UE (registos, subscrições, visitas).

Download guia: GDPR Guidebook for PKP Users (pdf)

Release 3.1.1 do OJS/OMP

A equipa de desenvolvimento do Public Knowledge Project anuncia a disponibilidade da versão 3.1.1 do Open Journal Systems e Open Monograph Press.

De referir que é a primeira release em simultâneo das duas plataformas, e com o objectivo de assim se manter em termos de actualizações. Com algumas alterações significativas*, as versões apresentadas, primam pela correcção de bugs e aumento da estabilidade.

Estão disponíveis para download (link directo) em:

Open Journal Systems 3.1.1

Open Monograph Press 3.1.1

Artigos Relacionados:
OJS 3.1.0 já é uma realidade
Open Journal Systems
Open Monograph Press

*

  • Improved role sharing for editors, authors, and reviewers
  • Enhanced reviewer selection
  • Improved Submission Library utility
  • Public identifiers for chapters (OMP)
  • Improved subscription support (OJS)
  • Add support for catalog paging (OMP)
  • Support browsing by section, subject and keyword
  • Allow themes to override templates in plugins
  • Major improvements to some locales

Agregadores de Redes Sociais

Os Agregadores de redes sociais como o nome indica, permitem juntar (agregar) num só local (página, website, plataforma) todos os feeds das redes sociais onde marcamos presença – Facebook, Twitter, Google+, Instagram, etc.

O que podemos esperar dos agregadores de redes sociais?

Uma das principais vantagens, será sem dúvida, a possibilidade de apresentação de todos os feeds num só local.

Imagine-se o caso de um grupo que contém várias empresas, ou uma empresa que detém várias marcas. Cada empresa ou marca tem definido o seu posicionamento em termos de presença nas redes sociais, num caso ou noutro pode (está normalmente) pelo menos presente em duas redes sociais.

Cada empresa no seu site indica especificamente o endereço da sua presença nas redes onde está presente. Podem surgir casos em que uma marca, pela especificidade dos seus produtos ou serviços está presente numa rede em que a outra não está. Isto afigura-se confuso, esta dispersão de conteúdo de relacionamento com o cliente e interessados leva por vezes ao desinteresse e pouca valorização da informação que é veiculada.

Assim, centralizar toda essa informação, agregá-la, num só local, e disponibilizá-la de forma coerente e com apresentação, vai certamente permitir que seja possível um acompanhamento efectivo, sem necessidade de ter uma conta numa ou noutra rede social, pela parte dos interessados em receber toda essa informação.

Algumas possíveis abordagens na utilização de um agregador

Agregação de diversos feeds de diversas redes num site criado para o efeito.
Pode ser entendido quase como um site noticioso, a diferença está nas fontes e no tipo de conteúdo.
A solução consiste na utilização de um CMS com um template e plugin específico.
Textile.Network ; http://textile.network/

Agregação de diversos feeds de diversas redes numa página de um site.
Muito semelhante à solução anterior, a diferença está que não existe a necessidade de criar um site independente, o próprio website da marca ou empresa pode ser usado, desde que possa permitir a personalização de uma página e poder incluir alguma programação (código).
A solução consiste na utilização de plugins específicos (apps) que estabelecem a ligação e agregação do conteúdo das diferentes contas nas redes sociais. Normalmente controla também a apresentação final. Temos como exemplos:
Flow – Flow ; https://social-streams.com/flow/
Social Stream ; http://www.designchemical.com/blog/index.php/premium-jquery-plugins/jquery-social-stream-plugin-modern-light-responsive-network-wall/

– Agregação em plataforma específica em serviço online.

Publing; Collects social media posts from different sources and shows them on many different displays.
Showcase all your social media content together on your website. Make your visitors enjoy your content without leaving your website. https://www.publing.co/

Curator; The most comprehensive yet affordable aggregator on the net.
https://curator.io

Gostava de ver alguma destas soluções implementadas? Fale connosco.

Leituras complementares:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Rede_social
https://pt.wikipedia.org/wiki/Rede_social_virtual
https://pt.wikipedia.org/wiki/Curadoria_digital
https://es.wikipedia.org/wiki/Agregador_de_redes_sociales
https://en.wikipedia.org/wiki/Social_network_aggregation

AtoM, software de descrição arquivística

AtoM é uma abreviatura de Access to Memory. Funcionando em ambiente WEB, é uma aplicação de código aberto destinada à descrição normalizada em arquivos definitivos permitindo um acesso multilingue numa organização com múltiplos repositórios integrados.

Ambiente Web

Todas as funções principais ocorrem através de um browser. Depois de instalado, permite o acesso a partir de qualquer lugar, ligação à Internet é o requisito único.

Baseado em normas

O AtoM foi construído originalmente com apoio do International Council on Archives, para incentivar uma mais ampla adopção das normas internacionais. Foram criados padrões de conformidade para o núcleo do AtoM, que oferecem modelos de edição fáceis de usar baseados na web, que atendem a uma ampla variedade de padrões internacionais e nacionais.

Multilingue

Os elementos da interface e o conteúdo da base de dados de todos os utilizadores, podem ser traduzidos em vários idiomas.

Multi-repositório

Construído para ser usado por uma única instituição, para as suas próprias descrições, ou como multi-repositório (rede, portal) aceitando descrições de um variado número de instituições contribuintes, o AtoM é flexível o suficiente para responder a todas as necessidades.

Importação/exportação

Os seus dados não se encontram restringidos (bloqueados) no AtoM. Foram implementadas funcionalidades de importação e exportação, de acordo com os standards actuais, a partir da interface do AtoM. Actualmente são suportados os formatos (import/export): EAD, EAC-CPF, CSV and SKOS.

Código aberto

Todo o código do AtoM está disponível gratuitamente sobe uma licença GNU Affero General Public License (A-GPL 3.0) – dando-lhe a liberdade de o estudar, modificar, melhorar e distribuir. O AtoM é um projeto open-source activo e dinámico com uma ampla base de utilizadores.

Introdução ao AtoM e descrição arquivística

Simples mas esclarecedora apresentação ( Prof. Doutora Tânia Gava) elaborada por estudantes da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).

Informação e Download: AtoM software de descrição arquivística